TENHAM OS MESMOS SENTIMENTOS DE JESUS - Mensagem Pastoral de Dom Rubens Sevilha, OCD


Imagine você se Deus aparecesse esta noite e lhe dissesse: “Pede o que deseja, e eu te darei”. O que você pediria? Pois esta pergunta foi feita a Salomão, quando ele era ainda adolescente (cf. 1 Reis 3,5). Creio que boa parte da humanidade iria responder: Quero ganhar sozinho na loteria. Alguns iriam amenizar dizendo que poderiam ganhar não necessariamente sozinhos, mas que Deus não dividisse demais a bolada.

Todos podemos imaginar os inúmeros e criativos desejos de consumo e de felicidade que o homem atual pediria a Deus. Não sei se haveria alguém, com o coração tão vingativo, que pediria a Deus o mal para os desafetos.

O jovem Salomão pediu: “Dá ao teu servo um coração compreensivo, capaz de governar o teu povo e de discernir entre o bem e o mal”. Essa oração de Salomão agradou ao Senhor (1 Reis 3,9). Infelizmente, muitos pedidos e desejos que dirigimos a Deus são imperfeitos e egoístas, outros são ilusórios ou inúteis. Jesus declarou: “Pedi e recebereis, procurai e achareis, batei e vos será aberto; pois todo aquele que pede recebe; o que busca acha e ao que bate se lhe abrirá” (Mt 7,7).

Acredito que Deus sempre atende aos nossos pedidos, mas o faz na hora d’Ele e do jeito d’Ele. A hora de Deus nem sempre coincide com o nosso tempo, pois como afirma São Pedro: “Há, contudo, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: é que para o Senhor um dia é como mil anos e mil anos como um dia” (2 Pedro 3,8). Enfim, Deus tarda, mas não falha. Alguns pedidos os receberemos somente no Céu, após a nossa morte. Cabe a nós, portanto, com paciência e confiança, esperar humildemente a hora de Deus, que é sempre fiel ao seu amor.

Deus também, com amor e sabedoria, modifica de tal maneira nossos pedidos canhestros que, ao sermos atendidos, não os reconhecemos e temos a falsa percepção de que não fomos escutados. Em todas essas situações, por nossa ignorância espiritual, somos ingratos e injustos para com Deus, acusando-o de não nos socorrer, enquanto, pelo contrário, o seu poder está “agindo em nós e é capaz de fazer muito além, infinitamente além, de tudo o que nós podemos pedir ou imaginar” (Ef 3,20).

“Deus disse a Salomão: Já que pediste esses dons e não pediste para ti longos anos de vida, nem riquezas, nem a morte dos teus inimigos, mas sim sabedoria para praticar a justiça, vou satisfazer o teu pedido; dou-te um coração sábio e inteligente” (1 Reis 3,11). É de sabedoria que nós estamos necessitando nesses tempos difíceis que estamos vivendo, pois sozinhos não conseguiremos projetar e executar a nova reengenharia que o mundo necessita. O mundo está muito mal organizado, e para reorganizá-lo é essencial atacar três frentes concomitantemente: reorganizar a própria vida, reorganizar a vida familiar e reorganizar a nossa sociedade em todos os seus aspectos: valores, economia, política, religiões, meio ambiente etc.

Deus criou o mundo organizado e o pecado humano o desorganizou. Cristo veio restaurar todas as coisas, sendo Ele o primogênito e, pelo batismo, nós morremos e ressuscitamos com Ele para a vida nova “organizada”. Todo batizado é um construtor do Reino de Deus, um organizador do mundo. Todo seguidor de Cristo espalha ao seu redor um ambiente de paz, serenidade, bondade, fraternidade, solidariedade e misericórdia. “Tenham em vocês os mesmos sentimentos que havia em Jesus Cristo” (Fil 2,5). Quais os sentimentos que você está espalhando ao seu redor?

Dom Rubens Sevilha, OCD.

60 visualizações

 

BISPADO DE BAURU - Cúria Diocesana

 R. Fernando Costa, 3-30 - Vila Nova Santa Clara, Bauru - SP, 17014-130

Fone: (14) 3879-8706​

bispadobauru@bispadobauru.org.br 

curia@bispadobauru.org.br

© 2020 Diocese de Bauru. - Orgulhosamente criado com Wix.com