PENTECOSTES -Dom Frei Caetano Ferrari, O F M


Com a solenidade de Pentecostes, a liturgia de hoje comemora a terceira pessoa da Santíssima Trindade, o divino Espírito Santo, a alma da Igreja. Não existe vida cristã nem Igreja sem a presença e a ação do Espírito Santo. Diariamente elevamos a Deus esta súplica: “Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado e renovareis a face da terra”.

No milagre de Pentecostes se realizou a manifestação histórica do Espírito Santo - At 2,1-11.

Aqui em Atos Lucas conta o acontecimento de Pentecostes, conhecido como o milagre das línguas, acentuando a unidade que só o Espírito pode operar na Igreja, não obstante a diversidade dos dons que Ele lhe derrama. Pois Ele é o Espírito da unidade, da paz e da missão. Na manifestação histórica do Espírito Ele passou como um vendaval ao ouvido e como um fogo aos olhos, que encheu a casa onde se encontravam. Todos os que ficaram cheios do Espírito começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava, especialmente os judeus devotos que moravam em Jerusalém. Cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua. Eles diziam: Esses homens não são todos galileus? Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? Nós: partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, Judéia e Capadócia, Ponto e Ásia, Frígia e Panfília, Egito e Líbia próxima de Cirene, também romanos, judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciar as maravilhas de Deus na nossa própria língua!”. O Espírito não dividiu, ao contrário construiu desde logo a comunidade eclesial unida pelos dons do milagre das línguas que realizou. Ele é o Espírito do amor de Deus que tudo une. Por este milagre o Espírito transformou o pequeno rebanho em Igreja missionária. Então, a Igreja passou a ser reconhecida e foi ganhando força e expressão universal pelo espaço que ela deu ao Espírito Santo e por sua capacidade de encher a terra com o Evangelho de Cristo, isto é, de ser missionária.

O Espírito Santo se manifestou também no milagre dos carismas da Igreja - 1Cor 12,3-7.12-13.

O Espírito dá também à Igreja a multiformidade dos seus dons ou carismas para que os fiéis batizados exerçam as diversas funções e serviços em favor do seu povo. Todos os que pertencem a Cristo são membros diversos do mesmo Corpo do qual Cristo é a Cabeça. Paulo diz que ninguém pode dizer “Jesus é o Senhor”, a não ser no Espírito. Há diversidade de dons, ministérios, atividades, mas um mesmo é o Espírito, um mesmo é o Senhor e um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. A confissão de que “Jesus é o Senhor” só pode ser proferida na força do Espírito. Unidade da confissão na fé e variedade dos serviços na Igreja. Todos nós fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único Corpo, e todos bebemos de um único Espírito.

Na tarde da Páscoa, Jesus pôs-se entre os discípulos, soprou sobre eles e lhes disse: “Recebei o Espírito Santo” - Jo 20,19-23.

Nesta página do Evangelho, João narra, que Jesus veio entregar aos seus o Espírito Santo, com a sua paz e a missão de evangelizar e batizar, para que eles sejam no mundo mensageiros da paz de Cristo e ministros da reconciliação pelo perdão dos pecados. “A quem perdoardes os pecados ser-lhes-ão perdoados; aos quais não perdoardes ser-lhes-ão retidos”. Tirar o pecado do mundo é a missão redentora própria de Jesus. O mundo ressuscita com Cristo pelo Espírito que Ele trouxe à Igreja.

6 visualizações