Os Apóstolos são testemunhas oculares da Ressurreição-Dom Frei Caetano Ferrari, O F M



“Vós sois as testemunhas de tudo isso!” - Lc 24,35-48

Jesus aparece aos onze discípulos reunidos no Cenáculo, assim tem início a página evangélica de hoje, terceiro domingo da Páscoa. Lucas declara que os acontecimentos salvíficos da paixão-morte-ressurreição de Jesus devem ser anunciados entre os povos como obra de salvação operada por Jesus e não por merecimento dos apóstolos de então, nem o será também pelos novos missionários que virão no futuro. De tal modo que aqueles que são evangelizados en


contram o caminho da conversão de vida e obtêm o perdão dos pecados pela graça do Espírito. Jesus mostra aos onze o que “na lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos” está escrito a respeito do Messias, especialmente a revelação de que Ele deve sofrer e morrer e, no terceiro dia, ressuscitar. O Ressuscitado mesmo cita aos discípulos os textos da Escritura que falam nesse sentido. Esse trecho evangélico de hoje termina com a afirmação de que tudo isso deve ser compreendido através do anúncio do testemunho dado pelos discípulos, pois eles não têm outra prova a dar senão a do seu depoimento como testemunhas oculares da Ressurreição. O simples testemunho do sepulcro vazio não convence nem dá crédito seguro. Os onze, eles mesmos, formaram a sua crença na Ressurreição a partir das aparições de Jesus. E é a partir da narrativa sobre as aparições que eles evangelizam e oferecem a fé aos que creem. Só assim os seus olhos, o seu coração e a sua mente se abriram para uma fé íntegra e uma esperança firme. Aparecendo ao vivo aos Apóstolos reunidos no Cenáculo, Jesus afirma que está vivo entre eles com a mesma humanidade: “vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo!” (os olhos); “tocai em mim” (o tato); “comeu diante deles” (o gosto). Explicando o que a Escritura diz a respeito dele, Jesus afasta o medo do fracasso (“eles ficaram assustados e cheios de medo”), por que tendes dúvidas no coração (“por que estais perturbados?” e “por que a incredulidade?”). Jesus dá a eles uma missão: ser as testemunhas da ressurreição no mundo. Como batizados a nossa missão é a mesma dos apóstolos, ser testemunhas da ressurreição de Jesus, no mundo de hoje.

Deus ressuscitou Jesus: disso nós somos testemunhas - At 3,13-15.17-19

Eis o que Pedro disse ao povo, segundo o relato de Lucas nesta página dos Atos. “Vós rejeitastes o Santo e o Justo e pedistes a libertação para um assassino. Vós matastes o autor da vida, mas Deus o ressuscitou dos mortos, e disso nós somos testemunhas. Eu sei que vós e vossos chefes agistes por ignorância. Deus, porém, cumpriu desse modo o que havia anunciado pela boca de todos os profetas: que o seu Cristo haveria de sofrer.” Pedro conclui sua fala admoestando o povo com estas palavras: “Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos, para que vossos pecados sejam perdoados”. Essa é a força do nome que supera a todos: “o anúncio da ressurreição de Jesus”. Conhecer esse mistério é importante, não de modo intelectual e teórico, mas segundo o modo da comunhão de fé, que se realiza pela observação da Palavra de Deus e a vivência da caridade perfeita. Este é o modo segundo o qual “todos reconhecerão que sois meus discípulos: que vos ameis uns aos outros”.

17 visualizações