ONDE ESTÁ DEUS? -Dom Frei Caetano Ferrari, O F M






ONDE ESTÁ DEUS?

“Ainda não tendes fé?” - Mc 4,35-41.

São Marcos conta no relato do Evangelho da santa Missa de hoje que os discípulos de Jesus passaram por uma prova de fé quando atravessavam o lago da Galileia. Eles fraquejaram tomados pelo medo de morrer e foram reprovados por Jesus que os interpelou acerca do seu medo e da sua pouca fé. Ao cair da tarde daquele dia, Jesus convidou-os a passarem para o outro lado da margem. Despediram a multidão e como Jesus já se encontrasse na barca partiram mar adentro, seguidos por outras barcas. Aconteceu que sobreveio uma ventania muito forte e as ondas se lançaram para dentro da barca, pondo-a em perigo de afundar. Correndo risco de vida os discípulos repreenderam Jesus porque ele dormia, tranquilamente, lá na popa, a parte de trás do barco. Cheios de medo, eles acordaram Jesus: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” Jesus se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!”. O vento logo cessou e houve uma grande bonança. A título de repreensão, Jesus lançou esta pergunta aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” Não obstante Jesus tenha dominado as forças da tempestade, eles não reconheceram nele o poder de Deus, ao contrário sentiram um grande medo. Contudo, ainda que na pergunta que a seguir se fizeram uns aos outros revelassem estar espantados, é possível antever a força da graça a operar o milagre da fé, pois se pode dizer que estavam passando do medo de morrer para o temor diante do mistério de Jesus: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?” Vimos os discípulos fraquejarem na fé. Nós também somos fracos na fé. Com toda confiança devemos rezar sem cessar: “Cremos, Senhor, mas aumentai a nossa fé”. Na barca da vida, confiemos em Jesus, porque ele está no meio de nós e segue conosco, ainda que não sintamos a sua presença.

Paulo soube em quem acreditou - 2Cor 5,14-17.

Conforme escreveu aos fiéis de Corinto, Paulo afirma que foi em Cristo que ele acreditou: “No Cristo que morreu por todos, para que os vivos não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou”. Tendo agora conhecido o Cristo segundo o espírito, Paulo não quer julgar ninguém segundo a carne. “Por isso, se alguém está em Cristo, é nova criatura. O mundo velho desapareceu. Tudo agora é novo”. Cristo morreu por todos para que não vivamos para nós mesmos, e sim para Cristo e pelos irmãos e irmãs. É como se deve entender estas palavras do Apóstolo: “O amor de Cristo nos pressiona, pois julgamos que um só morreu por todos e que, logo, todos morreram. De fato, Cristo morreu por todos para que os vivos não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou”. Vale para nós a pergunta: Sabemos em quem acreditamos? Temos consciência plena da mudança radical de que “Para quem é de Cristo, tudo agora é novo?”

Há alguém maior do que o seu sofrimento - Jó 38,1.8-11.

Neste trecho da leitura de Jó, Deus fala a Jó para mostrar-lhe a sua presença no meio das forças da natureza, apresentando-se como quem a domina. Jó experimentou a presença de Deus na natureza e descobriu que ele é maior do que o seu sofrimento. Jó ouviu Deus do meio de uma tempestade que lhe dizia: “Quem pôs limites ao mar, fechando-lhe a vazão das águas, quando eu lhe dei nuvens por vestes e névoas espessas por faixas, quando marquei seus limites com portas e trancas, e disse: ‘Até aqui chegarás, ó mar, e não além; aqui cessa a arrogância de tuas ondas’?” Louvemos o Senhor por sua misericórdia e por seus prodígios em favor de nós. Amém!

7 visualizações