JESUS, A VIDEIRA, NÓS OS RAMOS-Dom Frei Caetano Ferrari, O F M





Jesus é a verdadeira videira. Sem mim nada podeis fazer - Jo 15,1-8

No Evangelho de hoje, 5º domingo da Páscoa, segundo São João, Jesus toma a imagem da vinha, que desde o profeta Isaías simbolizava Israel, o povo de Deus, para fazer a sua catequese. Começou dizendo que, não obstante fosse um povo tratado com muito carinho por Deus, produzia muito pouco fruto, não correspondendo, portanto, às expectativas de Deus. Agora Jesus se apresenta como a verdadeira vinha e os cristãos o novo povo de Deus. Como o tronco da vinha, Jesus está no meio bem unido a seu povo, razão por que a vida que vem dele circula em toda a vinha, nos ramos todos, e então ela produzirá muito fruto. Assim disserta João pondo na boca de Jesus estas imagens: Eu sou a videira certa e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que em mim não dá fruto, ele o corta; e todo ramo que dá fruto, ele o enxerta novamente com a sua graça para que dê mais fruto ainda. Vós estais enxertados por causa da palavra que eu vos falei, Jesus continua dizendo. Então, permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Por si mesmo o ramo não pode dar fruto se não permanecer na videira. Assim também vós não podereis dar fruto se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira e vós os ramos. Porque sem mim nada podeis fazer. Este que não permanecer em mim será lançado fora como um ramo morto que secará. Tais ramos serão recolhidos, lançados no fogo e queimados. Quem, porém, permanecer em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado. Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos. Esta é Palavra do Senhor.

Que creiamos em Jesus e amemo-nos uns aos outros - 1Jo 3,18-24

Este é o mandamento de Deus, resume João nesta página de sua Carta. João se dirige aos cristãos usando expressões de carinho, tais como: “Filhinhos, não amemos só com palavras e de boca, mas com ações e de verdade”! Segundo João explica, este é o critério para a gente saber se o cristão é realmente de Deus, se o amor de Deus está nele. A prova maior é que ele seja capaz de dar a sua vida, como Cristo a deu, pelos irmãos. João saúda de novo, afetuosamente, os cristãos, dizendo: “Caríssimos”. Tudo o que lhe pedimos com confiança, recebemos dele, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos o que lhe é agradável. Aquele que guarda os seus mandamentos permanece em Deus e Deus nele; e nisto reconhecemos que ele permanece em nós, pelo Espírito que nos deu. Conclui-se que a dimensão horizontal da caridade é critério para fundamentar a dimensão vertical do amor a Deus.

Lucas relata que Paulo, por intermédio de Barnabé, mantém viva a sua comunhão com a comunidade mãe de Jerusalém - At 9,26-31

É o que narra Lucas nesta página de Atos. Os discípulos da Igreja mãe de Jerusalém, organizada em torno dos apóstolos, tinham dúvidas quanto à Paulo, em aceitá-lo ou não na comunidade. Então Barnabé levou Paulo aos apóstolos e contou-lhes o milagre da aparição de Jesus que veio ao encontro de Saulo no caminho de Damasco, e da sua conversão. Os irmãos levaram Saulo para Cesareia e daí o mandaram para Tarso. Segundo o depoimento de Lucas sobre esse momento da comunidade de fé, “a Igreja vivia em paz em toda a Judéia, Galileia e Samaria. Ela consolidava-se e progredia no temor do Senhor e crescia em número com a ajuda do Espírito Santo.”

31 visualizações